Tavinho e Tatinha

 




Tatinha é uma menina inteligente e muito alegre
Sempre aprontando mil e uma formas de brincar
Ora com brincadeiras de pega-pega e de esconder
Ora deixando os olhos passearem entre as nuvens

E do céu azul cavalgar em nuvens feitas de algodão
Em formas diferentes de tudo que existe na realidade
Deixando a imaginação voar em meio da fantasia
De pequena Fada sempre descobrindo novidades...

Foi em um dia de céu claro e cheio de novas nuvens
Que em formas de pequenas mãozinhas gordinhas
Tatinha sentiu em suas mãozinhas segurar um anel
E fechando os olhos brincou de fazer adivinhações:

E de olhinhos bem fechadinhos, dizia:

- O anel está com a nuvem Mariazinha.
- Acertei?
- Não! O anel está com a nuvem Rosinha.
- Ah! Agora, acertei!
- Me deixa pensar um pouquinho...
- O anel está com a nuvem Betinho.
- Ou, será que quando a nuvem for menino!
- Eu tenho que falar o nuvem?
- Fica meio esquisito!
- Mas, menino é sempre menino!
- Quando a nuvem for menina!
- Eu vou falar a nuvem!
- E quando o nuvem for menino!
- Eu vou falar o nuvem!
- Pronto, assunto resolvido.
- Agora o anel está com...
- Puxa, assim não vale, esconderam o anel!
- Parece que vai chover!
- Acho melhor pegar o nuvem guarda-chuva.
- E voltar correndo para a minha nuvem casa.

Mas quando Tatinha já ia sair correndo com medo da chuva
Ouviu um riso escondido de um menino agachadinho
Bem escondidinho em uma pequena nuvem verde
O menino tinha as mãozinhas escondidas atrás do corpo

O nome deste menino era Tavinho e não parava de rir
Tatinha já estava ficando chateada com tanto riso
E foi devagarinho se aproximando da nuvem verde
Afastou as folhinhas feitas de nuvens e perguntou:

- Quem é você?
- Porque está se escondendo?
- Ora, mas você não sabe nem se esconder!
- Tinha que escolher uma nuvem maior!
- Esta nuvenzinha é pequenininha!

O Tavinho ficou meio sem graça e respondeu:

- Meu nome é Tavinho.
- Eu estava vendo você brincar com as nuvens!
- Aí, eu pensei...
- Esta menina é especial, consegue brincar com as nuvens!
- Tentei chamar sua atenção, mas você não ouviu!
- Então resolvi esconder o anel...
- Olhe se você quiser eu devolvo...

A Tatinha parou, olhou, pensou e falou:

- Muito prazer, meu nome é Tatinha.
- Como é que você sabe que eu estava brincando com as nuvens?
- Até hoje, ninguém tinha percebido que eu brinco com as nuvens!
- Porque você acha que eu sou especial?
- Eu só estava usando a minha imaginação...

O Tavinho ficou meio sem jeito e pediu desculpas:

- Desculpe, Tatinha.
- É que na minha rua todos me chamam de criança especial.
- Muitos brincam comigo, mas dizem que vivo em outro mundo.
- Quando vi você brincando de passar o anel com as nuvens.
- Pensei que você também era de outro mundo.
- Sabe, eu amanhã vou começar a estudar na escola do bairro!
- Você estuda?
- Sabe ler?
- Sabe escrever?
- Estou ansioso para começar a estudar.

A Tatinha olhou para o menino e pensando bem baixinho
Viu que o Tavinho era bem mais alto do que ela
Tinha os olhos cheios de esperança e um sorriso alegre
Que pareciam trazer a paz que tanto falam no mundo

Tatinha lembrou do que sua professora tinha dito na escola
Ela tinha falado que iriam chegar novos alunos especiais
E que todos deveriam receber bem aos novos amiguinhos
Pois assim todos estariam aprendendo a ser especiais...

E a Tatinha olhando bem nos olhos do Tavinho, deixou o coração falar:

- Que legal, Tavinho!
- Será que você vai ficar na minha sala.
- Olhe, eu já sei ler e escrever.
- Vou te mostrar toda a escola.
- Tem a quadra, o parquinho, a lanchonete.
- Você gosta de pão com goiabada?
- Eu detesto!
- Podemos até trocar de lanche!
- O pão com goiabada é só na segunda-feira...

O Tavinho sorriu todo contente e disse de sua alegria:

- Legal, Tatinha!
- Eu estava com medo de por ser especial!
- Os outros meninos e meninas não gostassem de mim.
- Mas graças a você, eu agora sei a que mundo pertenço.
- É o mesmo mundo de todos.
- Tenho certeza de que seremos grandes amigos.
- Estou torcendo para ficar na sua sala.
- Sabe, eu agora sei que vou aprender a ler e a escrever...

E segurando a amizade entre suas mãozinhas cheias de carinhos
Tavinho e Tatinha ficaram brincando de passar o anel escondido
Do céu feito em Sorriso Maior o azul deixou nascer à esperança
Da compreensão dos primeiros passos de um caminho especial


Mostrando do especial em ser criança criando formas diferentes
Tirando do medo no contato da harmonia feita eterna igualdade
Da proteção sem separações de vidas que esperam do viver
Simplesmente com a sabedoria de poder brincar com as nuvens...


É, meus amiguinhos, ser especial é compreender e segurar na mão do amiguinho.

 

Ramoore



Voltar

 

Cantinho da Ritinha